* "Nos dias de hoje, cada vez mais, acentua-se a necessidade de ser forte. Mas não há uma fórmula mágica que nos faça chegar à força sem que antes tenhamos provado a fraqueza."

Treinei meus passos com a ajuda de outros braços..
as passadas eram inconstantes, tropeçava e caía
o hábito de fazer o mesmo caminho.. acabava levando à inércia
 Depois de um tempo não aguentava trilhar o mesmo rumo
soltei meus braços de quem me segurava e fui indo..
caía, tropeçava, voltava ao mesmo caminho lá atrás..
mas continuava tentando firmar.. os tais dos passos
pés muitas vezes inseguros, voltavam aos mesmos tombos..
a sola dos pés começavam a ficar mais firmes
o relógio começava então a andar segundo o seu tempo..
a música passava a dançar no ritmo correto..
mas e aí, parou de tropeçar e cair ? precisou de braços novamente ?
de braços precisamos sempre quando pensamos que estamos sós.
e muitas das vezes transparentes são..do ajudador de nossas almas..
simplesmente somos tocados na ponta dos dedos..
os pés eles tem curvas e linhas muito pessoais..
se eu não caísse, eu não saberia o valor da firmeza
se eu não tivesse tropeçado, eu não conheceria a humildade
só sei que escrevo assim, no descalço de mim, as linhas das minhas páginas..
a ponta dos dedos viram lápis a desenhar meu mapa
e deixo de ter pés de criança quando consigo caminhar
 marcando meus pés no chão..
.
Christi..
* Frase título da postagem do Pe. Fábio de Melo

Comentários

Atreyu disse…
O título do post disse tudo!!!
Nayara Borato disse…
Olá, desculpe invadir seu espaço assim sem avisar. Meu nome é Nayara e cheguei até vc através do Blog ponto final. Bom, tanta ousadia minha é para convidar vc pra seguir um blog do meu amigo Fabrício, que eu acho super interessante, a Narroterapia. Sabe como é, né? Quem escreve precisa de outro alguém do outro lado. Além disso, sinceramente gostei do seu comentário e do comentário de outras pessoas. A Narroterapia está se aprimorando, e com os comentários sinceros podemos nos nortear melhor. Divulgar não é tb nenhuma heresia, haja vista que no meio literário isso faz diferença na distribuição de um livro. Muitos autores divulgam seu trabalho até na televisão. Escrever é possível, divulgar é preciso! (rs) Dei uma linda no seu texto, vou continuar passando por aqui...rs


Narroterapia:
Uma terapia pra quem gosta de escrever. Assim é a narroterapia. São narrativas de fatos e sentimentos. Palavras sem nome, tímidas, nunca saíram de dentro, sempre morreram na garganta. Palavras com almas de puta que pelo menos enrubescem como as prostitutas de Doistoéviski, certamente um alívio para o pensamento, o mais arisco dos animais.

Espero que vc aceite meu convite e siga meu blog, será um prazer ver seu rosto ali.
http://narroterapia.blogspot.com/

Postagens mais visitadas deste blog

Domínio..

Pétalas de vida..

Trilhos e pés descalços..