Cordas de som raro..

Chegar..
na vida do outro
nem devagar demais
e nem depressa demais..
Muitas vezes..
prestar e gastar tempo
olhar com demora..
sentir como quem estuda detalhes de obra
.
Chegar..
na vida do outro
nem antes e nem depois
simplesmente na hora certa
do poder do encontro..
e "devagar" o sabor e a cor
e "devagar" os tons e as misturas..
.
Chegar..
e construir o ficar..
a ponto de as íris dos olhos se lerem
a ponto do silêncio não ser separador..
mas ser tão somente, detalhe..respeito..
Torres que montamos em legos reais
castelos que não se vão conforme as ondas aparecem..
batem forte nos concretos estabelecidos
Gastar tempo como se o tempo
nunca poderia ter a força de apagar..
.
Chegar..

Comentários

Chica disse…
Lindo! Saber chegar com cautela, cuidado e na hora certa...beijos,chica
A.S. disse…
Christi... tudo tem um tempo certo para acontecer!...

O poema é lindo!


Beijos,
AL

Postagens mais visitadas deste blog

Domínio..

Pétalas de vida..

Trilhos e pés descalços..