Brincando de mim..


Derramo meus rascunhos aos pés do vento
E peço ajuda na formação da minha escrita
Faço uma oração aos firmamentos
Para que encontre os reais versos desse trajeto em tempo..
.
Derramo meus rascunhos aos pés da sombra
Para brincar com a miragem que faço de mim
Em tempo..No descobrir dos meus passos
Assim na areia que faço ..
.
Derramo os meus anseios e desejos
Num baú que faço em relicário
Para que no meu momento oportuno
Eu me faça brisa e me faça tempestade..
.
Enquanto isso, eu vou brincando com meu ser
De entender os rumos do meu coração
Assim querendo e (des)querendo
Assim sendo ..Admirar meu sol..
bipolar, bifásica e bilingue das minhas palavras
.

Comentários

Mylla Galvão disse…
Olha...
Cada vez que venho ao seu blog me surpreendo mais e mais...
Que cabeçalho é esse menina??? Simplesmente maravilhoso... Esse esmalte azul dá um toque surrealista demais...
E essa sua poesia então... linda,linda...

As vezes também gosto de brincar de mim!!!!
Caio Martins disse…
"Eu me faça brisa e me faça tempestade..." - multipolar que brinca, nas sombras, de si mesma. Um aconchego, numa quinta-feira paulistana úmida e gelada.

Vale a pena revirar tal baú de relicários.

PS.: visite o link anexo, destinado a autores e amigos.
Érica disse…
Derrama a confiança.
Ela é a única coisa que não podemos viver sem. Confiar é tão imporatante quanto amar, inclusive, é parte inerente do amor.
Lindo poema.

Postagens mais visitadas deste blog

Chegada de longe..

Trilhos e pés descalços..

Pétalas de vida..