Tarde de ameaças de ter-me...


Não posso ceder ao que sua voz me sugere
Na verdade, me foi feita uma ameaça
Um ultimato com prazo e hora pra poder me achar...
Me escondi de ti e de mim, faz tempo...
E nessa linha me encontrei melhor
O que tanto impõe, se eras tu que não tinha pouso
E que na sua linha de sedutor maduro, se achava o mestre
Deu asas á uma aluna que ultrapassou seus métodos
Inverteu os papéis e hoje me coloca na parede
E não mais aquelas que nos jogávamos violentamente...
.
Já vivi o avesso contigo e pra lá talvez não queira mais voltar
Mas por hábito, ainda não sei dizer...
As folhas estão radiantes com novos horizontes de ventos
Não sei como sair do labirinto que me colocas
Recordações de um professor do sexo e da luxúria
O homem com as vestes de uma maturidade desejada
A cor da pele que arrepia quem passa e degusta quem prova
Por essas águas eu naveguei e mergulhei do raso ao fundo
Mas meu barco e meu leme seguem ...
Convive com o fato que a aluna também não é mais amadora
E que tem sua própria escola do que ela quer e das lições que não quer mais...
.

Comentários

Tyna disse…
Menina,
Adoro a maneira como escreve.
Que mulher bem rescolvida é você!
Parabéns, estamos amadurecendo.
Sei como é essa fase.
Beijos

Postagens mais visitadas deste blog

Domínio..

Trilhos e pés descalços..

Pétalas de vida..