Quase ao tocar do poema...


Poema meu de flores perfeitas
Palavras que surgem sem tocar
Minhas mãos no fluído das páginas sente...
E por sentir, sai de mim
Surgem belas pétalas
Ainda dispersas, alegrando o contexto
As letras se desenham, e se anelam
Num querer contínuo de gerar
Poemas doces de campos férteis
Conjunto da obra inerente
Caderno, papel, letras, mãos e flores...
.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Domínio..

Pétalas de vida..

Trilhos e pés descalços..