Lo.Li.Ta

Lolita, luz de minha vida, labareda em minha carne.
Minha alma, minha lama.
Lo-Li-Ta:
A ponta da língua descendo em três saltos pelo céu da boca
para tropeçar de leve, no terceiro, contra os dentes.
Lo.Li.Ta.
Pela manhã ela era Lô, não mais que Lô
Com seu metro e quarenta e sete de altura e calçando uma única meia soquete.
Era Lola ao vestir os jeans desbotados.
Era Dolly na escola.
Era Dolores sobre a linha pontilhada.
Mas em meus braços sempre foi Lolita.
.
Vladimir Nabokov

Comentários

Passei para deixar um abraço.

Lindo visual do seu espaço.

beijooo.
A Lobba! disse…
Fofo! Adoro essa coisa de Lolita...tara e perversão por trás da cara ingênua de menina!heheheheheheh
Lambidas pervertidas da lobba!!!

Postagens mais visitadas deste blog

Domínio..

Trilhos e pés descalços..

Balões de luz..