Azul de deserto...

O deserto ás vezes é uma cadeira no meio do nada
O deserto também é... um fio de azul na lágrima
A questão de sentar-se e aprimorar-se como ser humano
É uma escolha
Para sim
Ou para não
Ou simplesmente podes sentar e aproveitar a poeira afundar-te
O cenário é árido
A latente questão da depressão do só, do estar-se em vales
É momentânea
Vale é lugar de passagem
Tem dia pra entrar nele, como tem dia pra sair
Não rodeie a terra prometida 40 vezes se podes diminuir o percurso
A nuvem que acima de ti sonda...Envolve, protege
Te dá a opção de ter a cadeira, mas não em permanecer na condição de sentado
Só um pouquinho pra descansar
Não pra morar nela.
Levante da cadeira
O Maná te espera...

Comentários

o deserto, é não ter. O grande deserto , é não saber ter...!
josé movilha disse…
CHRISTI

"O DESERTO ÀS VEZES É UMA CADEIRA NO MEIO DO NADA" - BELO, SONHADOR, ILUSTRADO COM LEVEZA DIÁFANA COR DO PARAÍSO.

OBRIGADO MINHA AMIGA
BOM FIM DE SEMANA

BJS
o casalqseama* disse…
escolhemos levantar da cadeira...



sempre!
bjão da fê =D
Oliver Pickwick disse…
O deserto é um aprendizado. E se enxerga o azul, é sinal de que a sua mente adquiriu condição libertária, sem laços. Belo poema.
Um beijo!
Tatiana disse…
Chris...grande Chris!!!

Um bela semana para o seu belo coração!

Um beijo com meu carinho

Postagens mais visitadas deste blog

Chegada de longe..

Trilhos e pés descalços..

Pétalas de vida..